Quinhentismo – O Que Foi, Características, Autores e Obras


O Quinhentismo consiste numa manifestação literária que marca o período do descobrimento do Brasil e chegada dos primeiros grupos de portugueses ao país, que até então era colônia de Portugal. Exatamente por essa razão, essa manifestação literária é estudada nas escolas e conteúdo frequente em vestibulares, Enem e concursos públicos. Para saber detalhes sobre esse tema, confira nosso artigo.

O que foi o Quinhentismo?

O período do Quinhentismo começou no ano de 1500 e terminou em 1601, sendo essa manifestação literária também conhecida como “literatura de informação”.

Devido à sua importância histórica, trata-se de uma literatura (e um período específico) que abrange diversos relatos de viagem com ricas descrições em caráter informativo. Os textos produzidos pelos autores do Quinhentismo descrevem com detalhes as terras recém-descobertas pelos portugueses, a riqueza da fauna, da flora e as características do povo indígena.



Características do Quinhentismo

Com relação às principais características do Quinhentismo, essa literatura apresenta:

  • Ampla utilização de adjetivos;
  • Linguagem de fácil compreensão;
  • Crônicas de viagens;
  • Conquista espiritual e material;
  • Textos de caráter informativo e descritivo.

Diversos jesuítas e viajantes que chegavam ao Brasil nas primeiras viagens portuguesas foram de imensa contribuição ao relatarem os pormenores das terras recém-descobertas, transmitindo impressões detalhadas sobre a nova terra. As obras produzidas nesse período também se destacam pelo grande conteúdo histórico, sendo importantes documentos de pesquisa.

Principais nomes do Quinhentismo

Durante o Quinhentismo destacam-se alguns nomes que são estudados na literatura e também nas aulas de história. Vejamos quais são:

1 – Pero Vaz de Caminha

O escritor e vereador Pero Vaz de Caminha, que nasceu em 1450 e faleceu em 1500 era o principal escrivão da esquadra de Pedro Álvares Cabral. São dele as primeiras descrições documentadas com relação às terras brasileiras. A “Carta de Achamento do Brasil”, com data de 1º de Maio de 1500 é um dos mais importantes relatos da História do nosso país. Essa carta de Pero Vaz de Caminha foi enviada ao então Rei de Portugal, D. Manuel e é considerada como o início da Literatura Brasileira.

2 – Padre José de Anchieta

Entre os autores do Quinhentismo, outro importante nome é o do Padre José de Anchieta, que viveu de 1534 a 1597. Além de padre, Anchieta foi teatrólogo, poeta, gramático e historiador espanhol. Ele chegou ao Brasil com a missão de catequizar os índios nativos e teve um importante papel ao defender os indígenas contra os abusos cometidos pelos colonizadores portugueses.

Para facilitar a comunicação com os nativos, Anchieta aprendeu a língua tupi e foi o desenvolvedor da primeira gramática da língua indígena. As principais obras desse autor são:



  • Arte de Gramática da Língua mais usada na costa do Brasil (1595);
  • Poema à virgem.

3 – Pero de Magalhães Gândavo

Pero de Magalhães Gândavo nasceu em 1540 e faleceu em 1580. Ele foi um importante professor, gramático, cronista e historiador português. Gândavo contribuiu principalmente com relatos admiráveis sobre a fauna, a flora, a dimensão e as riquezas das terras brasileiras. Esses relatos foram feitos no livro “História da Província de Santa Cruz, a Que Vulgarmente Chamamos Brasil”.  Outra importante obra desse autor é “O Tratado da Terra do Brasil.”

4 – Padre Manuel da Nóbrega

Entre os nomes do Quinhentismo, o Padre Manuel da Nóbrega é outro dos mais relevantes. Esse jesuíta português chefiou a primeira missão jesuítica à América, chamada “Armada de Tomé de Sousa”, que ocorreu em 1549. O principal objetivo de sua vinda ao Brasil era catequizar os índios. Manuel da Nóbrega participou da primeira missa feita em terras brasileiras e da fundação das cidades de Salvador e Rio de Janeiro.

Entre as obras desse autor, destacam-se:

  • Informação da Terra do Brasil, de 1549;
  • Diálogo sobre a conversão do gentio, de 1557;
  • Tratado contra a Antropofagia, de 1559.

Frases dos autores do Quinhentismo

Quinhentismo



“Águas são muitas, infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem.” (Pero Vaz de Caminha).

“É certo que a soberba, com seus afãs, só compra o inferno e com pouco trabalho o humilde compra o céu.” (José de Anchieta).

“Todos têm remédio de vida, e nenhum pobre anda pelas portas a mendigar como nestes reinos.” (Pero de Magalhães Gândavo).

“Conheci de perto as angústias dos simples e as aflições dos degredados. Quis o senhor, que o serviço do Brasil não me saísse do coração. A tarefa evangelizadora continua. A permuta de nomes não importa.” (Manuel da Nóbrega)



Depois de saber sobre Quinhentismo e todos os detalhes desse período, confira nossos demais conteúdos sobre literatura brasileira e tire as melhores notas.

Imagens: e-konomista.pt / jornalorebate.com.br