Oswald de Andrade: Biografia Resumida, Vida e Obras


Oswald de Andrade está entre os nomes mais consagrados da literatura brasileira, graças principalmente ao papel que esse escritor desempenhou no Movimento Modernista. Para saber detalhes quanto à vida e obra desse grande escritor, confira nosso artigo.

Oswald de Andrade – biografia resumida

  • Nome completo: José Oswald de Sousa de Andrade
  • Data de nascimento: 11/01/1890
  • Local de nascimento: São Paulo – SP
  • Atuou como: escritor, ensaísta e dramaturgo
  • Casou-se três vezes, com: Tarsila do Amaral (de 1926 a 1930), Patrícia Rehder Galvão (de 1930 a 1935) e Maria Antonieta D’Aikmin (de 1944 a 1954)
  • Data de falecimento: 22/10/1954 (aos 64 anos)

Principais contribuições para a literatura brasileira

A principal marca de Oswald de Andrade para a literatura foi sua participação ativa no movimento modernista, sendo até hoje um dos nomes mais lembrados desse período. Juntamente com a pintora Anita Malfatti, o escritor Mário de Andrade e outros importantes intelectuais da época, Oswald organizou a memorável Semana de Arte Moderna de 1922.

As obras de Oswald de Andrade são caracterizadas pela forte presença da realidade brasileira. Inclusive, o escritor liderou o movimento de valorização da cultura nacional e distanciamento da influência estrangeira.



A atuação de Oswald foi essencial para a cultura brasileira na primeira metade do século 20 e as obras desse importante escritor foram determinantes para o surgimento de dois importantes movimentos culturais brasileiros ocorridos na década de 60: o concretismo e o tropicalismo. Em uma frase, podemos dizer que Oswald de Andrade foi um dos maiores buscadores de uma identidade da arte brasileira.

Oswald de Andrade – vida

Oswald de Andrade nasceu em uma família rica e desde cedo apresentava grande interesse nos estudos. Em 1909 iniciou o curso de Direito na Faculdade de Direito do Largo do São Francisco, em São Paulo, e formou-se no ano de 1919.

Oswald fez diversas viagens e morou por algum tempo na Europa, tendo feito estudos principalmente na França. Movido por esses novos conhecimentos, retornou ao Brasil com grande vontade de contribuir para a cultura brasileira de uma forma diferente – valorizando as características do nosso povo.

Ao lado de outros importantes intelectuais como Mário de Andrade e Anita Malfatti, Oswald de Andrade organizou a Semana de Arte Moderna, um dos eventos culturais mais significativos e até hoje lembrado e estudado. Em 1922, o escritor publicou seu primeiro livro “Os Condenados”. No ano de 1924, começou o movimento Pau-Brasil, caracterizado pelas ideias de nacionalismo e valorização de uma arte genuinamente brasileira.

No ano de 1945, Oswald de Andrade fez um concurso para a cadeira de literatura brasileira na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, obtendo o título de livre-docente. Oswald de Andrade faleceu aos 64 anos, tendo deixado um grande legado para a arte e cultura no Brasil.

Oswald de Andrade – obras

  • 1922 – Os Condenados (romance)
  • 1924 – Memórias Sentimentais de João Miramar (romance)
  • 1925 – Manifesto Pau-Brasil
  • 1925 – Pau-Brasil (poesias)
  • 1927 – Estrela de Absinto (romance)
  • 1927 – Primeiro Caderno de Poesia do Aluno Oswald de Andrade
  • 1928 – Manifesto Antropófago
  • 1933 – Serafim Pontes Grande (romance)
  • 1934 – O Homem e o Cavalo (teatro)
  • 1937 – O Rei da Vela (teatro)
  • 1937 – A Morta (teatro)
  • 1943 – Marco Zero I – A Revolução Melancólica (romance)
  • 1945 – A Arcádia e a Inconfidência (ensaio)
  • 1945 – Ponta de Lança (ensaio)
  • 1946 – Marco Zero II – Chão (romance)
  • 1946 – A Crise da Filosofia Messiânica
  • 1953 – O Rei Floquinhos (teatro)
  • 1954 – Um Homem Sem Profissão (memórias)
  • 1966 – A Marcha das Utopias (edição póstuma)
  • Poesias Reunidas (edição póstuma)
  • Telefonemas (crônicas – edição póstuma)

Frases de Oswald de Andrade

Oswald de Andrade



  • “Como poucos, eu conheci as lutas e as tempestades. Como poucos, eu amei a palavra liberdade e por ela briguei. Contra a memória fonte do costume. A experiência pessoal renovada. Senhor, que eu não fique nunca como esse velho inglês, aí do lado, que dorme numa cadeira à espera de visitas que não vêm.”
  • “A gente escreve o que ouve, nunca o que houve.”
  • “Aprendi com meu filho de dez anos que a poesia é a descoberta das coisas que eu nunca vi.”
  • “A alegria é a verdadeira prova dos nove.”

Além de conhecer sobre Oswald de Andrade, não deixe de conferir nossos demais conteúdos sobre literatura brasileira e educação.

Imagens: blog.estantevirtual.com.br / pensador.com