Regência Verbal – O que é, Definição e 10 Exemplos Práticos Com Verbos


regência verbal

A regência verbal é uma das matérias mais estudadas da língua portuguesa, sendo sua compreensão determinante para escrever e falar melhor nosso idioma. Quer saber todos os detalhes sobre este assunto? Confira nosso post.

O que é regência verbal?

Regência verbal consiste no estudo da língua portuguesa que tem por objetivo identificar a relação entre os verbos (termos regentes) e os temos seguidos deles, os quais completam o sentido no qual os verbos são aplicados (termos regidos). Vejamos alguns exemplos:

1 – Ela mora em outro país.



O verbo morar é classificado como verbo transitivo indireto, já que ele exige preposição. (pois quem mora, mora em algum lugar).

2 – A reunião implica mudança de horário.

Implicar é considerado um verbo transitivo direto, já que ele não requer uso de preposição. (pois estamos falando de implicar algo, e não implicar em algo).

Para facilitar o entendimento prático quanto à regência dos verbos, vejamos alguns exemplos.

10 exemplos práticos de regência verbal

1 – Esquecer

Esse verbo é classificado como transitivo direto. Isso significa que ele não requer preposição.

Ex.: Esqueci o meu caderno.



2 – Chegar

Trata-se de um verbo que é regido pela preposição a.

Exemplo:

Chegamos ao local da festa.

Obs.: quando este verbo é utilizado nas conversas informais é comum que as pessoas utilizem a preposição em.



3 – Visar

Quando esse verbo é utilizado no sentido de objetivo, ele exige preposição.

Ex.: Visamos ao lucro.

Na comunicação coloquial é possível observar o verbo visar sendo utilizado sem preposição, exercendo a função de verbo transitivo direto.

Ex.: Visamos o lucro.

Já nos casos de esse verbo ser empregado no sentido de mirar, ele não requer preposição.

Ex.: O detetive visou o impostor a distância.

4 – Assistir

Quando este verbo é utilizado no sentido de ver, ele exige preposição.

Ex.: O que você acha de assistirmos ao jogo?

Quando empregado no sentido de oferecer assistência, o verbo assistir não precisa de preposição.

Ex.: Ela sempre assistiu crianças mais pobres.

O verbo assistir empregado no sentido de pertencer requer uso de preposição.

Ex.: Assiste às vítimas o direito de verbas indenizatórias permanentes.

5 – Querer

A regência verbal do verbo querer quando empregado no sentido de desejar não necessita de preposição.

Ex.: Quero ficar longe dele.

Já quando esse verbo é utilizado no sentido de estimar é necessário acompanhar preposição.

Ex.: Queria muito aos seus familiares mais próximos.

6 – Custar

Esse verbo empregado no sentido de ser custoso requer preposição.

Ex.: Aquela bronca custou ao pai muitas lágrimas.

Já nos casos em que o verbo custar é usado no sentido de valor, ele não exige preposição.

Ex.: Aquele carro custou caro demais.

7 – Informar

Este é classificado como um verbo transitivo direto e indireto. Desse modo, ele requer um complemento com e outro sem preposição.

Ex.: Informei o fato aos diretores.

8 – Obedecer

Este verbo é classificado como transitivo indireto. Isso significa que ele exige preposição.

Ex.: Obedeça ao professor!

Obs.: quando utilizado na comunicação informal, muitas pessoas usam o verbo obedecer como transitivo direto (sem preposição).

Ex.: Obedeça o professor!

9 – Proceder

Quando o verbo proceder é aplicado com sentido de fundamento, ele consiste em um verbo intransitivo.

Ex.: Essa sua suspeita não procede de forma alguma.

Já nas situações nas quais esse verbo é usado no sentido de origem, ele exige preposição.

Ex.: Esse seu ciúme procede de acontecimentos antigos e superados.

10 – Aspirar

O verbo aspirar aplicado no sentido de absorver ou respirar não requer preposição.

Ex.: Aspirou todo o sofá.

Já nas situações nas quais este verbo é empregado no sentido de pretender, ele exige preposição.

Ex.: Aspirou ao cargo de juiz federal.

Regência nominal

regência verbal

Além de conhecer detalhadamente sobre regência verbal, é necessário estudar sobre regência nominal, um outro campo da língua portuguesa. A regência nominal tem a função de estabelecer uma relação entre nomes e seus respectivos complementos, sendo essa relação estabelecida por meio de preposições (assim como ocorre na regência dos verbos).

Para evitar confundir esses termos é importante saber diferenciá-los e fazer diversas listas de exercícios sobre regência nominal e regência verbal. Para saber mais detalhes sobre o conceito e ver exemplos de regência nominal, basta conferir nosso post específico sobre este assunto.

Imagens: vestibulinhoetec.pro.br / simplifica.efacil.com.br