Orações Coordenadas: Conclusivas, Explicativas, Assindética e Exemplos


As orações coordenadas são amplamente estudadas na Língua Portuguesa, sendo uma matéria que ainda gera muitas dúvidas entre os alunos. Para esclarecer todas elas e aumentar suas notas, confira nosso post.

O que são orações coordenadas?

Trata-se daquelas orações que, no período, não possuem função sintática umas em relação às outras. Por isso, são orações sintaticamente independentes, ainda que ligadas pelo sentido ou por elementos gramaticais que explicitam as relações semânticas entre elas (as conjunções), compondo um todo coeso e coerente. Vejamos um exemplo onde há três orações sintaticamente independentes:

“O dia nascia, a chuva cessara, as nuvens se dissipavam.” (Leon Tolstói)



  • O dia nascia = oração coordenada
  • a chuva cessara = oração coordenada
  • as nuvens se dissipavam = oração coordenada

Orações coordenadas assindéticas

Quando uma oração coordenada não vem introduzida por uma conjunção, ou seja, quando ela se apresenta simplesmente justaposta, ela recebe o nome de oração coordenada assindética. Entre as orações coordenadas assindéticas de um período haverá sempre uma pausa, marcada na escrita pela presença de sinal de pontuação.

Orações coordenadas sindéticas

Uma oração coordenada sindética é aquela que vem introduzida por uma conjunção.

Classificação das orações coordenadas sindéticas

orações coordenadas

Cada oração coordenada sindética é classificada de acordo com a conjunção que ela introduz. Vejamos.

A – Aditivas

Essas orações exprimem ideia de adição, soma, sendo que as principais conjunções aditivas são: e, nem, mas também, mas ainda.

Exemplo:



  • Marcos trabalha e estuda.

Marcos trabalha = oração coordenada assindética (não é iniciada por conjunção)

e estuda = oração coordenada sindética aditiva (iniciada por conjunção aditiva).

B – Adversativas

Exprimem uma ideia de oposição, contraste e adversidade, sendo que as principais conjunções adversativas são: no entanto, entretanto, contudo, todavia, porém, mas.

Exemplo:



  • Lucas estuda, mas não aprende.

Lucas estuda = oração coordenada assindética (não é iniciada por conjunção)

mas não aprende = oração coordenada sindética adversativa (iniciada por conjunção adversativa)

C – Alternativas

Exprimem ideia de escolha, alternância. Obs.: haverá alternância quando a ocorrência de um fato implicar a não ocorrência de outro. As principais conjunções alternativas são:

Exemplo:



  • Saia mais cedo de casa, ou espere o trânsito acalmar.

Saia mais cedo de casa = oração coordenada assindética (não é iniciada por conjunção)

ou espere o trânsito acalmar = oração coordenada sindética alternativa (iniciada por conjunção alternativa)

D – Conclusivas

Exprimem uma ideia de conclusão, finalização, sendo que as principais conjunções conclusivas são: então, portanto, logo, pois (quando posposta ao verbo).

Exemplo:

  • Não saiu cedo, logo chegou tarde.

Não saiu cedo = oração coordenada assindética (não é iniciada por conjunção)

logo chegou tarde = oração coordenada sindética conclusiva (iniciada por uma conjunção conclusiva)

E – Explicativas

Exprimem ideia de confirmação, justificação, explicação, sendo que as principais conjunções explicativas são: porque, que, pois (quando anteposta ao verbo).

Exemplo:

  • Venha imediatamente, pois sua presença é necessária.

Venha imediatamente = oração coordenada assindética (não é iniciada por conjunção)

pois sua presença é necessária = oração coordenada sindética explicativa (iniciada por uma conjunção explicativa)

Obs.: é possível que a conjunção que introduza vários tipos de oração, atuando como conjunção coordenativa explicativa quando o verbo da oração anterior estiver no modo imperativo.

Exemplos:

  • Aguarda mais alguns minutos, que ele te atenderá.

Aguarda mais alguns minutos = oração coordenada assindética

que ele te atenderá = oração coordenada sindética explicativa

Como é possível observar, nos exemplos citados, a conjunção que equivale a pois.

Posição das conjunções coordenativas

Além de saber que as orações coordenadas sindéticas são introduzidas pelas conjunções, é importante aprender que, por questão de estilo, em alguns momentos, algumas conjunções coordenativas podem aparecer não no início, mas no meio ou até mesmo no fim da oração coordenada.

Exemplos:

  • Era a corredora mais bem preparada; ganhou a prova, portanto.
  • Era a corredora mais bem preparada, ganhou, portanto, a prova.

 

  • O palestrante falava com entusiasmo; a plateia, porém, não lhe dava a menor atenção.
  • O palestrante falava com entusiasmo; a plateia não lhe dava a mínima atenção, porém.

Além de estudar esse conteúdo, é de suma importância fazer exercícios específicos sobre orações coordenadas sindéticas e assindéticas (aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas). Também é recomendado revisar o conteúdo das aulas e tirar todas as dúvidas com o professor. Isso tudo faz com que na hora da prova você não se confunda.

Imagens: blog.unifoa.edu.br / unicesumar.edu.br