Conjunção – Significado, Coordenativa, Conclusiva e Subordinativa


A conjunção é uma das classes de palavras estudadas na Língua Portuguesa sendo que, além da escola, esse conteúdo é cobrado em provas (Enem, vestibulares e concursos) em todo Brasil. Para saber todos os detalhes e aumentar suas notas e chances de aprovação, confira nosso post.

O que é conjunção?

Trata-se de uma palavra invariável, ou seja, que não é alterada em gênero (masculino e feminino), número (singular e plural) e grau (superlativo ou diminutivo). A função da conjunção é ligar palavras, grupos de palavras, frases e orações, estabelecendo uma relação de sentido entre as unidades ligadas.

Vejamos dois exemplos:



Rodrigo chegou atrasado e Mariana ficou aborrecida.

  • Rodrigo chegou atraso = 1ª oração
  • e = conjunção
  • 2ª oração = Mariana ficou aborrecida.

Neste primeiro exemplo, a conjunção e liga duas orações coordenadas.

Rodrigo e Mariana chegaram atrasados.

  • Rodrigo e Mariana = sujeito (no qual e é a conjunção)

Já neste segundo exemplo, o e liga dois termos da oração que exercem a mesma função sintática (núcleo do sujeito).

Locução conjuntiva

Consiste no conjunto de duas ou mais palavras que possuem valor de conjunção. De maneira geral, as locuções conjuntivas terminam com que. Vejamos algumas delas:

  • Visto que;
  • Uma vez que;
  • A fim de que;
  • À medida que;
  • Já que;
  • Se bem que;
  • À proporção que;
  • Ainda que;
  • Contanto que;
  • Desde que.

Classificação das conjunções

Tanto as conjunções quanto às locuções conjuntivas são inicialmente classificadas em coordenativas e subordinativas.



Conjunções coordenativas

Esse tipo de conjunção liga termos que exercem a mesma função sintática, ou orações independentes (coordenadas), sendo que as conjunções coordenativas são subdivididas em:

Aditivas (indicam soma, adição)

  • E;
  • Nem;
  • Mas também;
  • Mas ainda.

Exemplo: Marcelo estava triste e cansado.

Adversativas (indicam oposição, contraste)

  • Mas;
  • Porém;
  • Todavia;
  • Contudo;
  • Entretanto;
  • No entanto.

Exemplo: Henrique ficou surpreso, entretanto, não demonstrou.

Alternativas (indicam escolha, alternância)

  • Ou, ou…ou;
  • ..ora;
  • ..quer;
  • ..seja.

Obs.: A conjunção ou também é usada para indicar equivalências. Nesse caso, tem valor explicativo:



Exemplo:

O hífen ou traço de união é usado para ligar pronomes enclíticos ao verbo.

Conclusivas (indicam conclusão)

  • Pois (quando posposta ao verbo);
  • Logo;
  • Portanto;
  • Então etc.

Exemplo: Portanto, tudo que foi explicado é suficiente.

Explicativas (indicam explicação)

  • Pois (quando anteposta ao verbo);
  • Porque;
  • Que etc.

Exemplo: Vanessa ficou em casa porque estava doente.



Conjunções subordinativas

Conjunção

Essa conjunção serve para ligar duas orações sintaticamente dependentes, ou seja, uma oração subordinada e uma outra, que é a principal. Essas conjunções são subdivididas em:

Causais (indicam motivo, causa)

  • Porque;
  • Visto que;
  • Já que;
  • Uma vez que;
  • Como etc.

Exemplo: Lucas foi bem na prova já que estudou todas as matérias.

Condicionais (indicam condição)

  • Se;
  • Caso;
  • Contanto que etc.

Exemplo: Irei ao teatro amanhã se você me buscar.

Consecutivas (indicam consequência, resultado)

  • Que (precedida de tão, tal, tanto);
  • De modo que;
  • De maneira que etc.

Exemplo: Letícia comemorou tanto que queria brindar com todos os convidados.

Comparativas (indicam comparação)

  • Como;
  • Que (precedida de mais ou menos).

Exemplo: Já não quero falar nesse assunto, como não quero mais problemas.

Conformativas (indicam conformidade)

  • Como;
  • Conforme;
  • Segundo etc.

Exemplo: Conforme conversamos ontem, Pedro deve mudar de colégio.

Concessivas (indicam concessão)

  • Embora;
  • Se bem que;
  • Ainda que;
  • Mesmo que;
  • Conquanto etc.

Exemplo: Ainda que não aceite, cumprirei as metas.

Temporais (indicam tempo)

  • Quando;
  • Enquanto;
  • Logo que;
  • Desde que;
  • Assim que etc.

Exemplo: Assim que chegar a primavera, irei a Paris.

Finais (indicam finalidade)

  • A fim de que;
  • Para que;
  • Que etc.

Exemplo: Luciano encerrou o assunto para que todos se acalmassem.

Proporcionais (indicam proporção)

  • À proporção que;
  • À medida que etc.

Exemplo: Terá boas notas à medida que estudar.

Integrantes

  • Que; se (quando iniciam oração subordinada substantiva).

Exemplo: Espero que as férias cheguem logo.

Morfossintaxe da conjunção

As conjunções, da mesma forma que as preposições, não exercem função sintática na oração. Conforme já vimos, as conjunções apenas ligam termos de mesma função sintática ou orações de um período composto. Por essa razão, as conjunções são chamadas (e classificadas) como conectivos.

No caso de um período composto, são as conjunções que marcam as relações de coordenação e subordinação entre as orações. No entanto, para uma melhor compreensão das conjunções é preciso conhecer análise sintática. Além de estudar esse conteúdo sobre conjunção, é necessário fazer exercícios específicos dessa matéria.

Imagens: unicesumar.edu.br / imaginie.com.br