Pleonasmo – Figura de Linguagem – Exemplos e O que é?

pleonasmo

 

 

Pleonasmo está em nosso cotidiano o tempo todo. É um recurso estilístico que encontramos em todo lugar. Nos deparamos com ele nas placas, nos outdoors, nas portas e vitrines de estabelecimentos comerciais.

Também está nas poesias declamadas e nas escritas. Se faz presente nos livros e nas músicas. Podemos encontrá-lo especialmente na fala rotineira e despreocupada do povo.

Saiba um pouco mais sobre isto, lendo o artigo até o final.


O que é Pleonasmo?

Pleonasmo é uma figura de linguagem que se caracteriza pela redundância. Trata-se da repetição de palavras que tem o mesmo significado, em uma mesma oração. Pode ocorrer de duas formas: Como Pleonasmo literário ou como Pleonasmo Vicioso

Pleonasmo e sua origem

Trata-se de uma palavra que tem origem no grego. Surgiu do termo inicial polys, cujo significado é “muito”. Dele veio o termo pleon   que formou pleonasein, que quer dizer “mais que suficiente”. Foi este último vocábulo que deu origem ao termo em latim pleonasmu e que se tornou pleonasmo em português e quer dizer “redundância”.

 

 

Exemplos de Pleonasmo na Literatura

Consiste no uso de redundância, que tem por finalidade dar maior ênfase a uma mensagem. É uma forma de reforçar e chamar a atenção para o que se deseja transmitir.  É chamado de literário por ser muito usado, como alternativa estilística, por poetas, escritores e compositores.

Exemplos:

  • Manuel Bandeira dá um exemplo de pleonasmo em seu “Poema só para Jaime Ovalle”.

“Chovia.

Chovia uma … chuva” de resignação

… contraste ao calor … da noite.

O poeta usa as palavras com redundância para enfatizar a mensagem que deseja passar.

  • Chico Buarque e Vinícius de Moraes em “Valsinha “também empregam a figura de linguagem Pleonasmo na expressão “dançaram tanta dança”. Observe

Valsinha

E ali “dançaram tanta dança” …

E foi tanta felicidade

E foram tantos beijos…

Que o mundo compreendeu…

  • E mais uma de Vinícius de Moraes, em Soneto da Fidelidade

E em seu louvor…

E “rir meu riso” e derramar meu pranto.

Rir meu riso é uma redundância que evidencia a emoção do eu lírico.

Pleonasmo Vicioso 

É um tipo de Pleonasmo também conhecido como Perissologia. Consiste na redundância de palavras sem nenhum objetivo. É bastante utilizado no cotidiano, na fala coloquial.

Geralmente acontece por desconhecimento da norma culta da língua, ou mesmo por descuido do emissor.  Neste caso deixa de ser uma figura de linguagem e torna-se um vício de linguagem.


O que é vício de linguagem

Para melhor entendimento faz-se necessário explicar a definição de “vício de linguagem”. Trata-se de palavras ou expressões, faladas ou escritas, que estão inteiramente fora da norma culta da Língua.

Passam a ser consideradas Vícios de Linguagem devido à frequência de seu uso por um número expressivo de pessoas.

Desta forma, as palavras que são repetidas redundantemente, de forma incoerente e desnecessária, são consideradas um Pleonasmo Vicioso.

Exemplos:

Os pleonasmos viciosos são muito utilizados, principalmente na fala. Expressam uma redundância sem lógica. Ocorrem quando uma informação é repetida desnecessariamente.

Veja os exemplos mais comuns:

exemplos-pleonasmo

Há muitos outros exemplos deste vício de linguagem. Observe algumas frases bastante comuns, que ouvimos no dia a dia.  Talvez, você até já tenha usado, mesmo sem querer.

 

Frases redundantes Onde está o Pleonasmo?
O aniversário foi uma bela surpresa inesperada. Se é surpresa, só pode ser inesperada.
A escolha é opcional. Existe alguma escolha que não seja opção?
Você deve comparecer pessoalmente ao Detran. Não há como comparecer sem ser pessoalmente.
O filme é baseado em fatos reais. A palavra fatos já se refere à realidade
Quando amanhecer o dia iremos embora. Só o dia pode amanhecer.
Gostaria de conviver junto a natureza. Conviver já significa que é com alguém.
Mantenha a mesma velocidade. Manter significa continuar a mesma coisa; não mudar
Puxe a porta para fora. Não há como puxar uma porta para dentro
Para entrar empurre a porta para dentro Não dá para empurrar para fora.
Quer saber minha opinião pessoal? A opinião só pode ser pessoal.

 

Pleonasmo é portanto, um termo que se repete na oração. Para enriquecer o sentido do texto ou como repetição desnecessária.

Assuntos Variados:

Ela emagreceu 12kg de forma natural

Aprenda os Segredos da Maquiagem Perfeita
Livro: Renda Extra nas Horas Vagas
 
Publicidade