Sujeito – Tipos, O que é, Núcleo, Oculto, Composto e Indeterminado

sujeito

Saber quais são os tipos de sujeito é algo essencial no aprendizado da Língua Portuguesa, já que essa é uma das classes de palavras mais utilizadas na elaboração de frases e textos. Para saber todos os detalhes com relação a cada tipo de sujeito, confira nosso post.

O que é sujeito?

O sujeito consiste em alguém ou algo de quem ou do que se fala ou comunica uma informação. Para facilitar a identificação do sujeito, geralmente a maneira mais eficaz é por meio de perguntas.

Exemplo: A vendedora da loja correu muito com o carro.

Desse modo, responder a essa pergunta: “quem correu muito com o carro?” automaticamente identificará o sujeito da oração que, por sua vez, é “a vendedora da loja”.

Quais são os 5 tipos de sujeito?

1 – Sujeito Simples

É quando a oração possui apenas um núcleo do sujeito. Desse modo, o verbo da oração se refere a apenas um elemento, que pode ser um substantivo (singular ou plural), pronome ou numeral.

Exemplos:

  • O cachorro latiu no portão.
  • Rodrigo gosta de ler crônicas.
  • Eu comprei um sapato elegante.
  • Dois meninos estão estudando na biblioteca.
  • A luva preta é de couro.

2 – Sujeito composto

Consiste naquele tipo de sujeito que é formado por dois ou mais núcleos.

Exemplos básicos de sujeito composto

  • Luíza e Joaquim iniciaram o namoro. (Núcleos: Luíza, Joaquim).
  • Livros e música são meu lazer preferido. (Núcleos: livros, música).
  • Eu, você e nosso primo podemos estudar mais. (Núcleos: Eu, você, primo).

Sujeito composto e anteposto ao verbo

Nessa situação, a concordância deve ser feita no plural. Alguns exemplos:

  • Mãe e filha conversaram longamente. (Sujeito: mãe e filha).
  • Mães e filhas devem dialogar com frequência. (Sujeito: mães e filhas).

Sujeito composto formado por pessoas gramaticais diferentes

Nesse caso, a concordância deve seguir as seguintes regras: a 1ª pessoa do plural prevalece sobre a 2ª pessoa que, por sua vez, deve prevalecer sobre a terceira. Exemplos:

  • Tuas irmãs, tu e eu decidiremos o que fazer. (Prevalece a primeira pessoa do plural: Nós).
  • Tu e teus irmãos tomareis a decisão. (Prevalece a segunda pessoa do plural: Vós).
  • Pais e filhos precisam (Prevalece a terceira pessoa do plural: Eles).

Sujeito composto posposto ao verbo

Nesse caso, existe uma nova possibilidade de concordância a qual ao invés de concordar no plural com a totalidade do sujeito, o verbo concorda com o núcleo do sujeito mais próximo. Exemplos:

  • Faltaram fé e coragem.
  • Faltou e coragem.

Quando o sujeito composto apresenta ideia de reciprocidade

A concordância deve ser feita obrigatoriamente no plural. Exemplos:

  • Abraçaram-se vitorioso e vencido.
  • Ofenderam-se advogado e promotor.

3 – Sujeito oculto ou determinado

Esse tipo de sujeito também é chamado de implícito, desinencial ou elíptico e ocorre quando não está declarado ou explícito na oração. O sujeito oculto é classificado também como determinado pelo fato de ele ser identificado no contexto e na conjugação verbal existente na oração.

Exemplos:

  • Gostamos de brincar Carnaval. (Nós).
  • Levou tudo para casa. (Ele ou ela).
  • A caminho de casa, passei pela praça central. (Eu).

4 – Sujeito indeterminado

Consiste em um tipo de sujeito o qual não é possível identificar o agente da ação, nem sequer pelo contexto ou terminação verbal do enunciado. Isso ocorre quando o verbo não faz referência a uma pessoa determinada ou mediante o desinteresse ou desconhecimento do agente responsável pela ação.

3 formas de identificar o sujeito indeterminado

1 – Verbo na 3ª pessoa do plural

O verbo na 3ª pessoa do plural não faz referência a nenhum substantivo citado anteriormente na oração.

Exemplos:

  • Disseram que ela foi escolhida para a vaga.
  • Capturaram o bandido com muito esforço.
  • Falavam banalidades o tempo todo.

estudar

2 – Pronome “se” e verbo intransitivo, transitivo indireto ou de ligação na 3ª pessoa do singular.

Exemplos:

  • Necessita-se de pessoas com conhecimento em matemática. (VTI).
  • Acorda-se disposto de manhã. (VI).
  • Nem sempre se é generoso nesse mundo. (VL).

3 – Verbo no infinitivo pessoal

Exemplos:

  • Era bom viajar por vários países.
  • É difícil agradar tanta gente.
  • Seria interessante pesquisar sobre o assunto.

5 – Sujeito inexistente

As orações sem sujeito são caracterizadas por não serem constituídas por verbos que admitem agentes da ação, sendo por este motivo chamadas de orações sem sujeito. Esses casos:

1 – Verbos que indicam fenômenos da natureza. Ex.: ventou, choveu, amanheceu, anoiteceu, nevou etc.

2 – Ocorrência do verbo haver, quando é empregado com sentido de existir, acontecer e indica tempo passado.

3 – Ocorrência dos verbos ser, fazer, haver, estar, ir e passar indicando distância ou tempo.

Exemplos:

  • Está na hora do recreio.
  • Trovejou durante a madrugada.
  • Há boas palestras no evento.

O que é núcleo do sujeito?

O núcleo do sujeito consiste no termo mais importante do sujeito. Esse núcleo pode ser formado por um substantivo, pronome ou palavra substantivada.

Exemplos:

Os avós, os pais e os filhos viviam em um bairro distante.

Sujeito: Os avós, os pais, seus filhos

Núcleo: avós, pais, filhos.

As meninas cantaram como anjos

Sujeito: As meninas

Núcleo: Meninas.

No que consiste o Predicado?

Além de saber quais são os tipos de sujeito, outro termo atrelado a esse conteúdo é o predicado.

O predicado por sua vez consiste naquilo que se fala/comunica sobre o sujeito, sendo outro dos elementos essenciais na construção das orações. Vale ressaltar que o predicado existe até mesmo nos casos de sujeito inexistente.

Com relação aos estudos sobre predicado, são cobrados conhecimentos referentes a predicativo do sujeito e relação entre sujeito e predicado.

Por que aprender sobre sujeito e predicado?

Questões sobre tipos de sujeito e identificação de predicado são as mais cobradas em concursos públicos para as mais variadas áreas, Enem, vestibulares e, obviamente, no período escolar, sendo temas básicos da Língua Portuguesa.

Por isso, além de estudar essa matéria na escola, no caso de pessoas que estão estudando para concursos e vestibulares, é indicado pesquisar e fazer exercícios considerando as listas aplicadas por bancas examinadoras e faculdades.

Essas informações sobre os tipos de sujeito consistem no ponto de partida para compreender ao máximo essa matéria e nunca mais confundir na hora da prova.

Imagens-   concurseiropreparado.com                   corujaloira.com


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *