Literatura de Cordel – Exemplos, História e Características

literatura-de-cordel

A Literatura de Cordel é uma das manifestações mais ricas da cultura brasileira, sendo bastante popular nas regiões norte e nordeste do país, especialmente nos estados do Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraíba e Ceará.

Quais as origens da Literatura de Cordel?

Esse tipo de literatura tal como a conhecemos no Brasil tem suas origens no continente Europeu, sendo introduzida em Portugal por volta do século XVIII. Em países como Espanha, França e Itália, essa literatura começava a se desenvolver no decorrer do século XII, ganhando maior notoriedade durante o período do Renascimento.

Especialmente no Brasil, essa literatura ganhou espaço no século XIX, adquirindo mais força e popularidade entre as décadas de 1930 e 1960, sendo marcada por fortes elementos da cultura brasileira.

Quais as principais características da Literatura de Cordel?

  • Busca informar os leitores utilizando recursos divertidos e forte oralidade;
  • Trata-se de uma tradição literária de cunho regional, ao contrário da literatura convencional (impressa nos livros);
  • De forma geral, essa literatura é apresentada em formato de pequenos livros com capa de xilografia, que ficam pendurados em cordas ou barbantes. Por isso, esse tipo de literatura recebeu esse nome;
  • Consiste em um tipo de gênero literário elaborado em versos com linguagem popular, retratando temas do cotidiano;
  • Nessa literatura, geralmente os próprios autores realizam a divulgação de suas obras.

No que se refere ao conteúdo e linguagem, esse tipo de literatura tem como características:

  • Uso do humor, sarcasmo e ironia;
  • Linguagem informal (coloquial);
  • Intensa presença de oralidade, rimas e métrica;
  • Abordagem de diversos temas: políticos, religiosos, folclóricos, históricos, sociais etc.

Com o objetivo de resgatar e manter a memória e importância cultural do Cordel, em setembro de 1988 foi criada a ABLC – Academia Brasileira de Literatura de Cordel, que possui mais de 7 mil documentos contendo livros, folhetos de cordel e pesquisas sobre os mais diversos aspectos desse tipo de literatura, oferecendo amplo apoio aos autores.

Escritores famosos influenciados pela Literatura em Cordel

Grandes escritores brasileiros foram amplamente influenciados por esse tipo de literatura, sendo seus traços notados em suas principais obras. Esses escritores são:

  • Guimarães Rosa;
  • Ariano Suassuna;
  • João Cabral de Melo Neto;
  • José Lins do Rego.

Escritores que mais se destacam na Literatura de Cordel

Os cordelistas com obras mais significativas e que se destacam no Brasil, sendo considerados os “mestres do cordel”, são:

  • João Martins de Athayde;
  • Firmino Teixeira do Amaral;
  • Cego Aderaldo;
  • Apolônio Alves dos Santos;
  • Cuica de Santo Amaro;
  • Guaipuan Vieira;
  • João Ferreira de Lima;
  • Leandro Gomes de Barros;
  • João de Cristo Rei;
  • Manoel Monteiro;
  • Homero do Rego Barros;
  • Gonçalo Ferreira da Silva;
  • Antônio Gonçalves da Silva (Patativa do Assaré);
  • José Alves Sobrinho;
  • Téo Azevedo.

Recentemente, um jovem autor vem ganhando cada vez mais notoriedade em virtude de sua habilidade com esse tipo de literatura. Trata-se de Bráulio Bessa, poeta, declamador e palestrante que possui participação semanal no programa “Encontro”, com Fátima Bernardes.

Algumas curiosidades sobre o cordel

  • No século XIX surgiram os primeiros mestres dessa literatura, tais como Leandro Gomes de Barros, Ugolino Nunes da Costa e Germano da Lagoa;
  • O trabalho dos vendedores de folhetos foi determinante para a disseminação desse tipo de literatura, sendo a divulgação amplamente realizada em feiras, pequenas cidades e lugarejos do interior do nordeste;
  • Embora atualmente os meios de comunicação tenham diminuído a popularidade desse tipo de literatura, há um movimento artístico no sentido de manter vivas as características e importância dessa escrita, já que ela consiste numa parte fundamental da cultura brasileira.

11 principais obras da Literatura de Cordel

1 – Cordel (Patativa de Assaré);

2 – Sertão alumiado pelo fogo do cordel encantado (Ana Paula Campos Lima);

3 – Histórias e lendas do Brasil – contos nordestinos (Tia Regina);

4 – Antologia da literatura de cordel (Sebastião Nunes Batista);

5 – A pedra do meio-dia ou Arthur e Isadora (Bráulio Tavares);

6 – O príncipe e a fada (Manoel Pereira Sobrinho);

7 – O flautista misterioso e os ratos de hamelin (Bráulio Tavares);

8 – Canudos na literatura de cordel (José Calasans);

9 – Lampião, o capitão do cangaço (Gonçalo Ferreira da Silva);

10 – Pavão misterioso (José Camelo de Melo Resende);

11 – O cachorro dos mortos (Leandro Gomes de Barros).

Exemplos de textos de Literatura de Cordel

Para demonstrar melhor a estrutura e características adotadas por essa literatura, nada melhor que ver alguns exemplos dos autores que mais se destacam no cordel.

literatura-de-cordel-arte

Ave-Maria da Eleição (Leandro Gomes de Barros)

No dia da eleição
O povo todo corria
Gritava a opposição
Ave Maria.

Via-se grupos de gente
Vendendo votos nas praças
E a arna dos governos, [a urna do governo]
Cheia de graça.

Uns a outros perguntavam
O Sr. Vota comnosco
Um chaleira respondia
Este é com vosco.

Eu via duas panellas
Com miudo de 10 bois
Comprimentei-a dizendo
Bemdita sois.

Os eleitores com medo
Das espadas dos alferes
Chegavam a se esconderem
Entre as mulheres.

Os candidatos chegavam
Com um ameaço bruto
Pois um voto para elles
E’ bemditos fructos.

O mesario do governo
Pegava a urna contente
E dizia eu me gloreio
Do teu ventre.

A opposição gritava
De nós não ganha ninguem
Respondia os do governo
Amen.

 

Cordel de Bráulio Bessa

Sendo eu, um aprendiz

A vida já me ensinou que besta

É quem vive triste

Lembrando o que faltou

 

Magoando a cicatriz

E esquece de ser feliz

Por tudo que conquistou

Afinal, nem toda lágrima é dor

Nem toda graça é sorriso

Nem toda curva da vida

Tem uma placa de aviso

E nem sempre o que você perde

É de fato um prejuízo

 

O meu ou o seu caminho

Não são muito diferentes

Tem espinho, pedra, buraco

Pra mode atrasar a gente

 

Mas não desanime por nada

Pois até uma topada

Empurra você pra frente

 

Tantas vezes parece que é o fim

Mas no fundo, é só um recomeço

Afinal, pra poder se levantar

É preciso sofrer algum torpeço

 

É a vida insistindo em nos cobrar

Uma conta difícil de pagar

Quase sempre, por ter um alto preço

 

Acredite no poder da palavra desistir

Tire o D, coloque o R

Que você tem Resistir

 

Uma pequena mudança

Às vezes traz esperança

E faz a gente seguir

 

Continue sendo forte

Tenha fé no Criador

Fé também em você mesmo

Não tenha medo da dor

 

Siga em frente a caminhada

E saiba que a cruz mais pesada

O filho de Deus carregou.

Há inúmeros outros exemplos de Literatura de Cordel disponíveis em excelentes obras brasileiras, consistindo em uma das riquezas da nossa cultura.

Gostou do nosso artigo sobre Literatura de Cordel? Compartilhe

Imagens-   cultura.gov.br       colegioweb.com.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *