Ambiguidade – Figura de Linguagem – Exemplos e O que é?

ambiguidade

 

Ambiguidade é considerada um vício de linguagem. É também chamada de Anfibologia. Ocorre quando há a duplicidade de sentido em palavras ou expressões do texto.

Muitas vezes, certas orações não são constituídas com clareza. Acontece isto quando alguns termos apresentam entendimento ambíguo ou duvidoso. Isso pode acontecer quando são usadas palavras ou expressões que não possibilitam uma interpretação precisa. Neste caso há um entendimento duvidoso da sentença e a Ambiguidade se estabelece.

Apesar de ser uma alternativa linguística admissível dentro do contexto poético e também na linguagem literária, seu uso não é recomendado em casos de escrita mais objetiva, em textos informativos e em redação de cunho técnico.

Veja abaixo diferentes exemplos de Ambiguidade.

Exemplos de Ambiguidade

  • A menina disse à colega que sua mãe havia chegado.

(A oração deixa um entendimento duvidoso, pois não se sabe ao certo quem chegou. A mãe da menina ou a mãe da colega).

  • O atleta falou ao treinador caído no chão. (Não há como saber quem está caído. Se é o atleta ou o treinador.)
  • Perseguiram o porco do meu tio.

(Quem foi perseguido? o porco que é um animal ou o tio que está sendo chamado de porco?)

Orações como estas são casos de Ambiguidade, que deixam muitas dúvidas no entendimento.


Etimologia da palavra “Ambiguidade”

O vocábulo Ambiguidade originou-se no termo latino ambiguitas” que significa equívoco, incerteza. A Anfibologia que é considerada sinônimo de ambiguidade, também tem significado semelhante. A palavra vem do grego “amphibolia que quer dizer duplicidade de sentido.

Apesar da interpretação dúbia que gera, seu uso é permitido em vários contextos, como por exemplo: nos poemas, na linguagem coloquial e em obras literárias que registram ou se baseiam na língua falada.


Ambiguidade como vício de linguagem

Para entender porque a Ambiguidade entra na categoria dos Vícios de Linguagem, precisamos compreender o que expressa exatamente esta classificação. Os vícios de linguagem são formações textuais, sentenças ou orações, que fogem da normatização gramatical e/ou sintática da língua.

Geralmente acontecem por desconhecimento das normas linguísticas ou até mesmo por falta de atenção ao se expressar.

Veja exemplos que mostram o quanto a Ambiguidade pode levar ao mal entendimento ou à duplicidade de interpretação da mensagem.

  • A cachorra da minha mulher está na rua. (Ele se refere ao animal ou está chamando a mulher de cachorra?)
  • O menino olhou o pai deitado na cama. (Afinal quem estava deitado na cama? o menino ou o pai?)

Vale observar o quanto é importante a clareza e objetividade nas construções textuais.  Nos exemplos acima, percebemos que as sentenças deixam dúvidas quanto ao personagem a que se referem.


Exemplos de Ambiguidade em diferentes 
Contextos

Um outro ponto é relevante em nosso estudo. Trata-se da versatilidade característica desta figura de linguagem. A ambiguidade não ocorre sempre da mesma forma e em um mesmo contexto.

É recurso estilístico que pode ocorrer de várias formas diferentes. Observe abaixo de quantas maneiras diferentes ela pode aparecer:

A ambiguidade Sintática

Esta figura de linguagem está ligada também à sintaxe.  Ela pode ocorrer quando várias interpretações decorrem da estrutura da oração. Ou seja, a ambiguidade acontece porque a oração não foi bem estruturada.

Exemplos:

  • Ouvi falar da festa no restaurante.

(Neste caso, ele ouviu falar da festa quando estava no restaurante ou ouviu falar da festa que acontecia no restaurante? )

Ambiguidade lexical

Ocorre com palavras que possuem vários sentidos.

Exemplos:

  • A vaca se diverte com a pata na lama.

(A palavra pata se refere à pata animal ou à pata que é o pé da vaca?)

  • Os meninos jogam futebol no campo.

(A palavra campo pode se referir à campo – área própria para jogar futebol. Mas, também pode estar se referindo ao campo – zona rural.)

  • Cortaram a rede.

(Rede possui diversos significados não explícitos na frase. Pode ser rede de conexão à internet; pode se referir à rede usada para dormir; pode ser rede elétrica.

  • A menina estava perto do banco.

Banco pode ser o banco da praça, assim como pode referir-se ao banco instituição financeira.

Conclusão

A Ambiguidade, como vemos, pode levar à interpretação dupla ou duvidosa de uma mensagem. Apesar disto, é permitido seu uso como recurso ou alternativa linguística, para chamar a atenção para um determinado contexto.

 

Assuntos Variados:

Ela emagreceu 12kg de forma natural

Aprenda os Segredos da Maquiagem Perfeita
Livro: Renda Extra nas Horas Vagas
 
Publicidade